Inovações com ADN Crioulo em tempos de pandemia

É evidente o impacto dramático que esta pandemia causará nos vários setores do país e na vida das pessoas. Entretanto, no verso desta crise, reside uma oportunidade singular de darmos o salto rumo à transformação digital que a nação tanto almeja.

O novo Coronavírus ou covid19 já atingiu, a nível global, perto de 3 milhões de pessoas e o número de mortos duplicou desde o início do mês de abril.

É evidente o impacto dramático que esta pandemia causará nos vários setores do país e na vida das pessoas. Entretanto, no verso desta crise, reside uma oportunidade singular de darmos o salto rumo à transformação digital que a nação tanto almeja.

O novo Coronavírus ou covid19 já atingiu, a nível global, perto de 3 milhões de pessoas e o número de mortos duplicou desde o início do mês de abril.

Pelo mundo fora, medidas de prevenção e contenção têm sido decretadas pelas entidades governamentais. Encontram-se em Estado de Emergência centenas de países e em quarentena domiciliar obrigatória, milhões de cidadãos do planeta. Gradualmente, o mundo vai perdendo a rapidez e o silêncio ganha voz. Enquanto isso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) apela aos países africanos a prepararem-se para o pior. E Cabo Verde, este pequeno país arquipelágico, teve que “fechar” as portas ao mundo.

Uma luta contra o inimigo invisível que mudou o rumo e o foco dos países dos cinco cantos do mundo. Todos os continentes afetados, a China vai voltando à normalidade, a Europa e os Estados Unidos transformam-se no centro da epidemia e a África regista, diariamente, aumento de casos positivos.

Ninguém sabe quando esta pandemia terminará; pela frente, talvez, vários meses de condicionamento social.

Por outro lado, face a este cenário de incerteza e angústia global, regista-se uma forte mobilização das empresas de base tecnológica no desenvolvimento de produtos e processos inovadores que ajudem as sociedades a vencerem o coronavírus. Recentemente, a Startupblink disponibilizou o Coronavirus Innovation Map, um diretório global com centenas de soluções inovadoras para ajudar as pessoas a adaptarem-se à nova condição de vida imposta pela pandemia.

Cabo Verde não foge à regra e, em meio a esta tensão e a necessidade de isolamento social, tem sido possível observar inúmeras iniciativas dos guerreiros digitais, com ‘ADN’ crioula, numa clara demonstração de responsabilidade perante a Nação, mas também do “brio” profissional.

Através da comunidade Cabo Verde Digital, a Devtrust, uma ‘startup’ que se tem afirmado na indústria Govtech, teve a ousadia de fazer o chamamento que deu origem ao primeiro e-meeting, reunindo mais de 50 profissionais do setor TIC, no país e na diáspora. O objetivo foi identificar e congregar possíveis soluções que possam ser utilizadas no combate àpropagação do covid19 em Cabo Verde.

e-meeting com a comunidade tech

Como fruto desta dinâmica, nasceu uma plataforma, rotulada de ComVida, resultante de uma experiência inovadora de parceria público-privado, com participação ativa de diversas ‘startups’ de jovens cabo-verdianos, sob a liderança e coordenação técnica do NOSi e com o apoio das Nações Unidas e do Governo de Cabo Verde.

Deste ecossistema constam componentes de Front-end, como portal oficial do Governo, denominado Covid19, que apresenta diversas componentes, como chatbot integrado com a linha verde, desenvolvido pelo Nhabex; o Dashboard (Business Intelligence), com informações do estado epidemiológico do país, disponibilizado pela Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Gestão de Credenciais de Circulação, implementado pela Platum; Donativos integrado com SIGOF, implementado pelo NOSi; Cadastro e Gestão de Voluntários e Cadastro e Gestão de Rendimento Solidário, desenvolvidos pelo All4innovation.

Outra componente importante a realçar é a Mobile App, desenvolvida para dispositivos Android e iOs, que permite, de forma rápida, cadastrar, reportar sintomas, submeter denúncias, efetuar rastreio e registo de proximidade e acesso às comunicações oficiais — um esforço conjunto da DevTrust, ZinkDeveloper, Flaga e Bonako.

Esta mesma Plataforma conta ainda com uma forte componente de back-end, sistemas que têm dado respostas às diversas iterações inerentes à gestão e controle desta pandemia em Cabo Verde, sendo utilizada pelas várias entidades intervenientes, como o INSP, a DNS e o Sistema Nacional de Proteção Civil. Vertente esta, toda ela desenvolvida sob a infraestrutura NOSICloud, utilizando o Framework FlexBundle da Platum (pass), sendo a Interoperabilidade garantida através de API’s disponibilizados pelo PDEX.

De realçar, o papel catalisador do NOSi neste processo, enquanto entidade nacional, com a missão de liderar a transformação digital no setor público cabo-verdiano para melhorar a vida dos cidadãos e promover colaborações inovadoras entre as empresas, colocando à disposição da comunidade tech toda a infraestrutura NOSICloud, plataformas de APIs para Interoperabilidade e apoio na arquitetura e desenvolvimento de soluções.

Neste contexto, a Cabo Verde Digital inaugurou a iniciativa #digital4covid. Um desafio à comunidade tech, no sentido de mapear todas as soluções digitais disponíveis, com o objetivo de fornecer um diretório central, que acopla os vários aplicativos digitais direcionados a ajudar as pessoas a adaptarem-se ao novo normal.

No diretório é possível encontrar aplicativos que respondem às necessidades, como Delivery (refeições, mercadorias, medicamentos, etc), compras-online pagamentos-online, transporte, trabalho à distância, entretenimento, formação online.

Até à data, o diretório conta com cerca de 30 soluções fornecidas pelas organizações do Estado e também pelas ‘startups’, acessíveis na página da Cabo Verde Digital ou, diretamente, no endereço http://digital.cv/digital4covid19/ .

É evidente o impacto dramático que esta pandemia causará nos vários setores do país e na vida das pessoas. Entretanto, no verso desta crise, reside uma oportunidade singular de darmos o salto rumo à transformação digital que a nação tanto almeja.

Tenho para mim, que tal transformação só será possível se aproveitarmos esta oportunidade, sustentada por uma forte vontade política e um ecossistema que estimula a inovação, colocando as tech ‘startups’ no centro.

Aqui, o papel da Cabo Verde Digital, como uma plataforma que visa reforçar a comunidade ICT e apoiar na criação do ecossistema digital, através da formação e empreendedorismo tecnológico em Cabo Verde, é preponderante.

A Covid19 vem evidenciar, ainda mais, a importância das Tecnologias e reafirmar a necessidade de consolidar o investimento no digital, nomeadamente, através de:

  • Aumento da Literacia Digital;
  • Preparação das Incubadoras e Aceleradoras especialistas em tech para apoiar as ‘startups’;
  • Preparação das empresas para a Indústria 4.0;
  • Apoio a Programas de Investigação e Desenvolvimento;
  • Reforço da ligação entre Universidades, Empresas e ‘startups’;
  • Criação de espaços de partilha de ideias, trabalhos e de custos;
  • Institucionalização do apoio a eventos nacionais e internacionais;
  • Incentivos à dinâmica de economia colaborativa;
  • Uma maior ligação entre a juventude no país e na diáspora.

Cabo Verde é, indiscutivelmente, um país resiliente. Ultrapassou épocas de fome, vem enfrentando a seca e ultrapassou várias outras adversidades ao longo dos anos e, certamente, vencerá este momento único e dramático que nos afeta como ilha, nação e diáspora.

É tempo de ser digital!